Pular para o conteúdo principal

Querer ficar

Os pioneiros estão sujeitos ao mais difícil caminho de todos, a ausência deles. A partir daí começam a enveredar-se por novos rumos, criam seus caminhos. Aos poucos achando quem com eles trilhe sua nova viela. A metáfora é precisa quando aplicada aos negócios.

Você tem uma idéia e batalha por ela com uma equipe. Aos poucos o grupo cria algo que vai além de cada um. O todo fica bem maior que a soma das partes. Entretanto quem vir de fora, estará vendo somente os indivíduos. E eles os assediarão, e é nossa responsabilidade, faze-los querer ficar.

Todos que já trabalharam em uma equipe que teve picos de performance, sabe que principalmente nestes momentos, havia uma atmosfera, algo que permeava a todos e os envolveu. O desafio é manter esse ciclo, quanto mais qualidade se entrega ao mercado mais gente se interessa pelo que seu time faz. Claro que essa perspectiva gera tensão, em termos físicos super-aquece, gera entropia. Na forma de todos os tipos de perturbação. É a ação do caos, entropia é isso, a complexidade aumenta dando maior espaço para a desordem, criar um ambiente que permita dissipação deste calor é exercício permanente.

Como Hari Seldon personagem do mestre da ficção cientifica Isaac Asimov propõe, parece existir Uma Lei de Conservação de Problemas Pessoais. As diferenças internas por mais dissipadas e ventiladas que possam ser, mantém uma média, e precisamos de medidas - assim como em um átomo - para evitar que a energia acumulada faça com que alguém pule fora.

Não espero que os times durem para sempre, mas a saída de membros pode ser uma experiência traumática ou não, dependendo de como todos lidam com a situação. Nessas horas é preciso fair play, transparência é a única alternativa. Compreender junto com quem parte, os motivos e circunstâncias dessa partida.

A interação do time com o meio social depende fundamentalmente de três pontos de vista: O de quem está dentro, o de quem está fora e - principalmente - o de quem já esteve dentro. Uma das coisas que mais gosto na Fermen.to é quando alguém que já fez parte do time vem nos visitar, ou participa dos papos em um dos grupos paralelos do Telegram, e quando alguém diz "Eu ia ficar de casa hoje, mas resolvi vir pra cá."

Comentários